Cada vez mais os carros híbridos ganham posição no mercado nacional. E não é por acaso. A junção do melhor dos dois motores (elétrico e de combustão) tem como objetivo principal reduzir o consumo de combustível e, por conseguinte, proteger o ambiente. Conheça então as vantagens de comprar um carro híbrido em Portugal.

O carro híbrido é composto por um motor de combustão (com tamanho inferior ao motor de um carro normal) apoiado por um motor elétrico que auxilia na explosão e permite aumentar o binário nos arranques, melhorar os regimes mais baixos do motor, ao mesmo tempo que recolhe ativamente energia nas travagens ou, outra opção, através do carregamento numa tomada (plug-in).

O motor hibrido resulta num carro com consumos menos elevados, baixa emissão de CO2 e de gases poluentes, mais eficiência e autossustentabilidade. Em baixo regime, o carro híbrido faz uso do motor elétrico, e usa o de explosão quando é necessária mais potência.

Mas a funcionalidade do sistema híbrido não começa e acaba no motor. Reside na própria conceção do carro com a integração de vários sistemas de poupança de energia, pneus especiais e com baixos coeficientes de atrito.

Apesar do preço do investimento inicial, que ainda é mais caro do que o carro normal, o mercado nacional de hoje já apresenta modelos de várias marcas a partir de 20 mil euros em estado novo. No caso de comprar um hibrido usado, este preço será certamente menor, nunca desconsiderando a atenção pela bateria e parte elétrica que devem ser revistas por um profissional especializado em motores híbridos.

Está à procura de um Híbrido? Diga-nos o que procura e deixe-nos o seu contacto no formulário abaixo:

Mas as vantagens de comprar um carro híbrido em Portugal não ficam por aqui. O sistema fiscal nacional estimula a aquisição deste tipo de veículos, especialmente as empresas, reduzindo o valor dos impostos. Assim, na compra de um carro híbrido plug-in novo, o sujeito passivo poderá beneficiar da redução do ISV até 563 Euros. Para as empresas as vantagens estendem-se à redução do IVA, do IUC e da tributação autónoma cujo pagamento é independente da existência ou não de matéria coletável.